O WordPress possui dois grandes recursos para tratar os erros de processamento do sistema: a classe WP_Error e a função wp_die. Enquanto a classe serve para organizar os erros e permitir um maior controle das informações com problema, a função interrompe a execução de script e exibe o erro em tela.

Esse código faz parte da série de snippets “Erros no WordPress”. A proposta visa manipular e trabalhar com todos os tipos de erros no WordPress de modo organizado a fim de deixar o Tema e o Plugin em que se está trabalhando em perfeito funcionamento.

Tanto WP_Error como wp_die pode ser a solução escolhida para padronizar o tratamento dado aos erros em seus Temas e Plugins.

Conhecendo os métodos e propriedades da classe WP_Error você consegue visualizar sua finalidade e o modo como trata as informações destinadas ao desenvolvimento e as informações a serem exibidas em tela.

Por outro lado a função wp_die pode ser utilizada não apenas em seu formato padrão, mas também de modo personalizado para o seu Tema ou para requisições AJAX.

Além desses recursos para trabalhar com erros no WordPress, você também consegue usar o arquivo de logs do WordPress para criar seus próprios registros. São muitas as possibilidades oferecidas pelo sistema a fim de manipular os erros; e isso sem contar que você pode desenvolver suas próprias rotinas, classes próprias, trabalhar com exceções do PHP. Muitas possibilidades.

No entanto, independentemente do modo como você lida com as verificações, validações e erros em seu código pode ser uma boa escolha optar pelo uso das rotinas do próprio WordPress, como wp_die e WP_Error. Ao fazer uso desses recursos você passa a entender melhor o funcionamento deles e fica habituado a trabalhar com esses formatos. Desse modo ao precisar fazer uma personalização em algum ponto do sistema que faça uso dessas rotinas, você estará mais apto a realizar o trabalho.

Esse material foi publicado para apresentar esses conteúdos sobre o tratamento de erros no WordPress e dar início a uma discussão aqui embaixo nos comentários. Você faz uso desses recursos? O que tem a dizer sobre eles? Compartilhe sua experiência e as técnicas que utiliza para lidar com os erros em seu código.